jusbrasil.com.br
29 de Junho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de Goiás TJ-GO - APELACAO CRIMINAL: APR 038XXXX-04.2014.8.09.0102

Tribunal de Justiça de Goiás
há 5 anos

Detalhes da Jurisprudência

Órgão Julgador

1A CAMARA CRIMINAL

Partes

APELANTE: LUCIMAR CORREIA DA SILVA, APELADO: MINISTERIO PUBLICO

Publicação

DJ 2335 de 24/08/2017

Julgamento

1 de Agosto de 2017

Relator

DES. NICOMEDES DOMINGOS BORGES
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

APELAÇÃO CRIMINAL. RECEPTAÇÃO. ABSOLVIÇÃO. RECONHECIMENTO DE OFÍCIO. INCIDÊNCIA DO PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA. VALOR ÍNFIMO DO BEM SUBTRAÍDO. PRIMARIEDADE. PENA. REDUÇÃO. PREJUDICADO.

1) A aferição da insignificância como requisito negativo da tipicidade envolve um juízo de tipicidade conglobante, muito mais abrangente que a simples expressão do resultado da conduta. Para se afirmar que a insignificância pode conduzir à atipicidade é indispensável averiguar a adequação da conduta do agente em seu sentido social amplo, a fim de apurar se o fato imputado, que é formalmente típico, tem ou não relevância penal. Em se tratando de uma motosserra com mais de 20 anos de uso, sem a confecção de laudo pericial que ateste o valor do bem, altamente depreciado pelas péssimas condições, somado à ausência de mínima lesão à propriedade alheia e devolução do bem, impõe-se o reconhecimento do princípio da insignificância, com a absolvição por atipicidade da conduta, prejudicado o mérito recursal.
2) APELO CONHECIDO E, DE OFÍCIO, ABSOLVIDO O APELANTE POR FORÇA DO PRINCÍPIO DA INSIGNIFICÂNCIA. PREJUDICADO O MÉRITO RECURSAL.

Decisão

ACORDA, o Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, pelos integrantes da 5a Turma da 1ª Câmara Criminal, na conformidade da ata de julgamento, por unanimidade de votos e acolhendo o parecer Ministerial de Cúpula, em conhecer do apelo e, de ofício, absolver o apelante da prática do crime de receptação, com respaldo no princípio da insignificância, nos termos do artigo 386, inciso III, do Código de Processo Penal, prejudicado o mérito recursal, conforme voto do Relator. Participaram do julgamento e votaram com o Relator o Desembargador Itaney Francisco Campos, bem como a Doutora Lília Mônica C. B. Escher, Juíza substituta do Desembargador Ivo Fávaro. Presidiu a sessão o Desembargador Relator Nicomedes Domingos Borges. Esteve presente à sessão de julgamento o nobre Procurador de Justiça Doutor José Fabiano Ito. Goiânia, 1º de agosto de 2017. Desembargador Nicomedes Borges Relator.
Disponível em: https://tj-go.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/492245543/apelacao-criminal-apr-3835360420148090102

Informações relacionadas

Marina Galdino, Estudante de Direito
Modeloshá 5 anos

[Modelo] Apelação

Ivonildo Reis Santos, Advogado
Modeloshá 4 anos

Apropriação indébita - Alegações Finais

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 4 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP: 000XXXX-96.2016.8.26.0574 SP 000XXXX-96.2016.8.26.0574

Tribunal Regional Federal da 1ª Região
Jurisprudênciahá 5 anos

Tribunal Regional Federal da 1ª Região TRF-1 - APELAÇÃO CRIMINAL: APR 000XXXX-07.2010.4.01.3601 000XXXX-07.2010.4.01.3601

Tribunal Regional Federal da 3ª Região
Jurisprudênciaano passado

Tribunal Regional Federal da 3ª Região TRF-3 - APELAÇÃO CRIMINAL: ApCrim 000XXXX-10.2018.4.03.6115 SP